AAdvantage amplia benefícios; novas oportunidades em vista

9
American

O programa AAdvantage da American Airlines apresentou esta semana novos e positivos benefícios para todos os membros do programa:

  • Isenção de taxa para cancelamento ou alteração de bilhetes emitidos com milhas para voos American Airlines e parceiras;
  • Expiração das milhas prorrogadas para 30 de junho de 2021; e
  • Isenção de taxa para emissão de bilhetes com milhas pela central de atendimento.

Anteriormente, a taxa para cancelamento poderia ser de até $150, e a de emissão pelo telefone de até $40, portanto de valores elevados, taxas essas somente isentadas para a categoria mais alta do programa, a Executive Platinum.

Novas Oportunidades

As alterações são bastante claras, mas, se analisarmos um pouco melhor, podemos verificar ao menos duas situações interessantes.

A primeira é que agora o cancelamento dos bilhetes emitidos com milhas pode ser realizado até mesmo algumas horas antes do voo, e mesmo que o check-in já tenha sido feito, o que permite uma ótima flexibilidade, em especial no atual momento e com diversas restrições de voos. Não existe antecedência necessária para que seja solicitado o cancelamento, basta que o voo não tenha ocorrido.

A outra é a possibilidade de emissão de bilhete com milhas pela central de atendimento sem custo. Apesar de pouco usada hoje, já que bilhetes de quase todas companhias parceiras podem ser resgatados diretamente pela página do AAdvantage, a emissão por telefone permite que os voos sejam customizados como se pretende, sendo que pelo site só é possível a escolha dentre as opções oferecidas.

Como o AAdvantage permite até quatro segmentos em cada emissão, a emissão pelo telefone possibilita uma personalização extra, com a escolha de todos os trechos que se pretende voar, um por um, desde que exista disponibilidade. Antes já era possível, mas exigia o pagamento de taxa, a não ser que existisse voos puros ou combinados com alguma companhia parceira que não era possível emitir pelo site, como a Etihad.

Lembro de ter feito algumas simulações trecho por trecho, em que escolhia os voos de acordo com a companhia, classe, avião e período de conexão que pretendia, mas na hora de montar o bilhete, mesmo com as diversas opções fornecidas na página do AAdvantage, não me era possível finalizar a emissão com todos os voos que gostaria (e mesmo sendo respeitado o prazo de 24h de conexão e existindo disponibilidade em todos os voos).

Mesmo assim, eventualmente conseguia finalizar algumas dessas emissões, montando o bilhete através da aba “várias cidades”, e ligando para a central de atendimento emitir. A dificuldade era convencê-los de que eu não deveria pagar taxa de emissão, além de que na maioria das vezes eram somados os pontos de cada trecho, mesmo sendo todos dentro das mesmas regiões de emissão, o que era outro problema a se resolver.

Agora, com a possibilidade da emissão pelo telefone, caso nos voos com vários segmentos não seja possível a customização exatamente como se pretende diretamente na página do AAdvantage (mesmo existindo disponibilidade na consulta trecho por trecho), o resgate pela central de atendimento sem taxa se mostra uma ferramenta interessante.

Algumas Palavras

Me surpreendi com os novos benefícios oferecidos pelo AAdvantage, em especial porque eles já haviam feito concessões interessantes recentemente e porque não existe prazo definido para que eles cessem o cancelamento gratuito das passagens para todos os membros do programa.

Gostaria muito de ver os programas brasileiros se espelhando nas alterações implantadas pelo AAdvantage, até porque o que andamos vendo por aqui é justamente o oposto. Basta ver o exemplo do Latam Pass, que, em plena pandemia, iniciou a cobrança de taxa em emissões com pontos considerando a proximidade do voo, conforme noticiamos aqui, sendo seguido pelo TudoAzul, que comentamos aqui.

Como contraponto a estes bons novos benefícios do programa, existe uma questão. Potencialmente não poderia ser um problema, já que o cancelamento gratuito a qualquer tempo abre margem para emissões especulativas, diminuindo consequentemente a disponibilidade? Caso isto ocorra, em que pese as novas oportunidades, prejudicaria consideravelmente o programa.

Deixo aqui ainda post que fiz há uma semana sobre o AAdvantage, que compara o uso do programa entre voos próprios American Airlines e os com companhias aéreas parceiras, trazendo também algumas considerações e exemplos de emissões interessantes.

O que acharam das alterações realizadas pelo AAdvantage, além das novas oportunidades decorrentes?

Maxmilhas