Accor e IHG estudam fusão, afirma jornal francês

4
Accor
Accor

A Accor e o IHG implementaram um grupo de análise para uma possível fusão, afirma o jornal francês Le Figaro.

Abaixo, deixo transcrita, em itálico, a matéria traduzida:

A Accor Estuda um Casamento com o Grupo Inglês IHG

A crise sem precedentes que abala a indústria hoteleira global continua a preocupar os profissionais. O Covid-19 ainda está à espreita, potencialmente retardando a recuperação da parada repentina para viajar. Os mais reativos dos gigantes do setor estão em busca da melhor solução para sair mais fortes da crise. De acordo com nossas informações, a Accor estudou um projeto de fusão com seu rival IHG. Sébastien Bazin, seu CEO, criou uma equipe dedicada a este projeto no início de junho, com seu CFO, Jean-Jacques Morin, e os bancos de investimento Centerview e Rothschild. Na quarta-feira, o grupo não quis comentar. 

Um casamento criaria a líder mundial na indústria hoteleira, à frente da Marriott. Uma força de ataque para atrair clientes e proprietários de hotéis em busca de contratos de franquia e gestão. Proprietário das marcas Intercontinental, Crowne Plaza e Holiday Inn, o IHG opera 5.918 hotéis (883.364 quartos) em todo o mundo, principalmente nos Estados Unidos. Seu faturamento foi de US $ 4,6 bilhões (3,87 bilhões de euros) em 2019 e está avaliado em 7,3 bilhões de libras (7,8 bilhões de euros) na Bolsa de Valores de Londres. Líder fora da China e dos Estados Unidos, avaliada em 6 bilhões de euros, a Accor (Raffles, Sofitel, Novotel, Mercure, Ibis, etc.) opera 5.099 hotéis (747.805 quartos), mas muito poucos nos Estados Unidos. Seu faturamento foi de 4 bilhões de euros em 2019.

Além da complementaridade geográfica, uma fusão criaria sinergias significativas em funções centrais, sistemas de reservas e programa de fidelidade. No dia 4 de agosto, a Accor anunciou uma economia de 200 milhões de euros. Essa economia teria sido maior com uma aliança com o IHG. O conselho de administração da Accor, que revisou repetidamente o princípio da fusão, é a favor. Mas Sébastien Bazin considera mais seguro não fazer nada no momento. Portanto, nenhum contato foi feito com Patrick Cescau, o presidente francês do conselho do IHG. Mas o plano pode evoluir nos próximos meses.

Algumas Palavras

Ontem mesmo eu havia dado uma olhada na situação das ações da Accor em relação com outras grandes do setor.

Valoração das ações do setor hoteleiro na pandemia
Valoração das ações do setor hoteleiro na pandemia

É visível que a Accor tomou o maior tombo, com suas ações hoje depreciadas em cerca de 40%. O IHG teve uma queda menor, de cerca de 20%. O grupo Hilton sofreu queda de “apenas” 10% – que é uma vitória para o caso de empresas relacionadas ao turismo.

Essas negociações costumam estar cercadas de sigilo e a gente só sabe quando elas estão seladas, assinadas e registradas. Mas tudo pode ser apenas conjecturas do jornal Le Figaro.

Se houver a fusão e meus pontos Accor mantiverem o seu valor atual, será um sonho!

Qual é o palpite de vocês?

Para ler a reportagem original, clique aqui.

Agradeço demais a dica do Thiago Gonzales! Valeu, Thiago! 🙂