American Airlines vai impor fiscalização rigorosa de bagagem de mão

0

A partir do dia primeiro de novembro, a American Airlines vai impor fiscalização rigorosa da bagagem de mão. A empresa enviou comunicado aos gerentes responsáveis pela área que recebeu notificação da FAA (Federal Aviation Authority), a agência reguladora americana.

A dita notificação informa que a empresa não está cumprindo a verificação do peso e dimensão da bagagem de mão dos seus passageiros, o que pode levar à aplicação de pesadas multas (USD 25 mil por violação).

O Processo

Vamos entender como se dá o processo de adoção de políticas empresariais relacionadas à bagagem nos EUA. As próprias empresas aéreas determinam quais são as políticas que adotarão – peso e dimensão da bagagem, quantidade de volumes permitidos, multas, etc.

A partir daí, as companhias aéreas enviam um relatório detalhado com as regras aplicáveis para a FAA e a agência aprova (ou não) o plano. Uma vez aprovado, o FAA pode fazer a inspeção nos aeroportos para verificar que a política aprovada está sendo cumprida.

Caso esteja tudo certo, vida que segue. Caso a FAA perceba que os agentes do aeroporto estão deixando de aplicar as regras, ela pode multar a companhia aérea.

A Ironia

Gente, a AA recebeu a notificação da agência reguladora porque não está cumprindo as regras que ela mesma, American Airlines, estabeleceu!

Parece piada, mas não é!

O Problema nos EUA

No Brasil, a gente tem visto funcionários com aquela caixa de papel que serve de parâmetro para o despacho da bagagem de mão na hora do embarque. Inclusive, a LATAM alterou as regras e vai passar a cobrar pelo despacho na hora do embarque. Como se dará essa logística eu ainda não sei … Vai ter funcionário a postos com máquina de cartão de crédito/débito? E quem não tem cartão ou mesmo dinheiro, faz como? Enfim, isso é papo para outro post.

Mas nos EUA, a gente realmente vê abusos. Em primeiro lugar, lá é permitida a venda de passagens domésticas sem direito à bagagem de mão, o que não é permitido aqui. Imagino que isso gere alguns problemas e que tenha gente que se aproveita de eventuais falhas na checagem do bilhete.

Eu tenho minhas dúvidas que os funcionários do embarque verificam os cartões de embarque para ver se a classe tarifária permite ou não que o passageiro carregue uma mala de mão. Uma vez dentro da aeronave, os comissários não têm como saber se o passageiro do assento 27F tem direito a usar o bin.

E as pessoas levam malas pesadíssimas e, muitas das vezes, acompanhadas de algumas sacolas de compras. Cansei de ver isso nas minhas viagens e acredito que todos aqui tenham tido a mesma experiência.

Inclusive, uma vez na executiva, o agente do check-in deixou o passageiro (era um businessman americano) levar uma mala de tamanho médio como se fosse mala de mão. Eu achei que daria problema na hora do embarque e não deu. Fiquei com a maior implicância, porque a minha mala era do mesmo tamanho e eu tinha despachado. Na chegada, ele passou alegre e faceiro por mim, e eu fiquei horas esperando a minha mala na esteira …

Enfim, há muitos abusos de toda sorte sendo cometidos. Se há uma política, que ela seja adotada. Afinal, quem é prejudicado? O passageiro que age corretamente e que, quando chega no seu assento, não tem lugar para colocar sua bagagem, porque um “esperto” ocupou todo o espaço disponível.

Algumas Perguntas

  • Vocês têm visto abusos em relação às bagagens de mão – tanto aqui como em voos domésticos nos EUA?
  • Vocês acham que têm que haver uma verificação maior por parte das empresas?
  • Deveria haver um padrão universal de bagagem de mão (dimensão e peso máximo)? Isso poderia ser facilmente implementado pelas companhias aéreas membros da IATA …

Detalhe

Isso também está valendo para viagens internacionais, tá gente?