Análise – Será que existe o melhor programa de pontos ou o melhor para cada ocasião?

12
Análise - Será que existe o melhor programa de pontos ou o melhor para cada ocasião?

No mundo dos pontos e milhas, é cada vez mais difícil saber qual é o melhor programa de pontos para emissão de passagens, em função da eliminação, pela maior parte das empresas, das tabelas de valores de resgates.

A precificação dinâmica tem dupla função, todas em prejuízo ao cliente:

  • Permitir a cobrança de valores maiores para voos com maior distância voada, dentro de uma mesma região, ou cuja passagem possui valor de venda mais elevado
  • Instituir o reajuste de preços sem qualquer tipo de aviso prévio ao cliente

Neste ponto, cabe ressaltar, então, os devidos parabéns aos programas Miles&Go, da TAP; AAdvantage, da American Airlines; Lifemiles, da Avianca; Avios, da Ibéria; Aeroplan, da Air Canada; e Krisflyer, da Singapore, pelo maior respeito e transparência aos seus clientes (embora em alguns a tabela só exista para parceiros, não em voos próprios).

Esta maior dificuldade, entretanto, não impede que seja feita a tentativa de verificar qual é o melhor programa de pontos para emissão de passagens, para as diferentes regiões do mundo.


Antes de seguir adiante, agradecemos ao Carlos por mais uma excelente análise que temos o prazer de compartilhar com vocês neste artigo cheio de informações valiosíssimas que nos ajuda a decidir qual é o melhor programa de pontos para as nossas necessidades.


Comparando os Programas de Pontos

Fiz o levantamento somente para classe executiva, por ser a classe, normalmente, de melhor custo/benefício para uso dos pontos. As opções de programas que resgatam em primeira classe são mais limitados, assim como de companhias que operam esta cabine. Já para econômica, normalmente a compra da passagem em dinheiro costuma ser mais barata e eficiente, embora este seja um aspecto discutível, aberto a contribuições.

Com os programas que utilizam tabelas, a obtenção dos valores é simples e direta. Isto não quer dizer que sempre será possível resgatar por tais valores, pois não é uma simples questão de haver disponibilidade de assentos resgatáveis, mas também de empresas que operem a rota.

Por exemplo, para a maior parte das empresas da Star Alliance, não existe mais opção de voos do Brasil para o Sul da África depois que a South African cancelou esta rota.

Existe também o problema de alguns programas não tarifarem certos trechos ou parceiros, categoria em que o finado programa Amigo era campeão, mas cujo troféu foi, com enorme dedicação, conquistado pela Latam Pass.

Já para os programas sem tabela, o levantamento é mais complicado. A metodologia que utilizei foi colocar os valores mais baixos que encontrei sem muita dificuldade. Mas é importante observar que todos estes valores são APD (a partir de) e, dependendo do destino ou data específicos, pode ser cobrado um valor muito superior ao indicado.

No caso da Ibéria, também está sendo usado o APD porque, apesar de existir tabela, o programa precifica as passagens por distância percorrida e diferencia baixa e alta temporadas.

Feito este preâmbulo inicial, segue abaixo a tabela. Observações adicionais serão acrescidas após. Para quem tiver curiosidade, também fiz este levantamento em outubro de 2018 e março de 2017. Os valores indicados em vermelho são os mais baixos.

Os Detalhes de Cada Programa

Latam Pass

O programa possui apenas uma tabela de valores mínimos, o que não é exatamente muito útil, ainda mais em um programa cuja confiabilidade e transparência são nulos. Os primeiros valores indicados são os mínimos para voos próprios, os segundos são de voos em parceiros, embora o programa seja especialista em ter parceiros-fantasmas (parceiros só no papel, impossíveis de resgatar passagens). Algumas raras vezes, é possível encontrar valores abaixo do indicado.

Smiles

É um programa sem tabela e com possibilidade de reajustes semanais, além de enorme variação de valores dependendo do parceiro consultado. Para América do Norte, o menor valor encontrado foi para LAX voando com Aeroméxico, Europa com TAP, as demais regiões, todas com Qatar.

TudoAzul

Outro programa sem tabela e com poucos parceiros. O menor valor para a América do Norte foi encontrado com Air Canadá, recém “aliançada”. Entretanto não está tarifando com a AC para outras regiões, saindo do Brasil, mesmo com existência de assentos-prêmio (inclusive não possui o aeroporto HND cadastrado). Europa, valor voando TAP e demais regiões com Turkish.

TAP Miles&Go

Programa com valores variáveis em voos próprios e tabelados com parceiros. Os valores indicados são todos para emissão com parceiros, porém será cobrado o dobro do valor pois somente ida ou ida-e-volta tem a mesma precificação. Coloquei estes valores para deixar a comparação justa, mas a emissão sempre deverá ser feita ida-e-volta por economia.

Para parceiros é quase sempre necessário emitir por telefone, porém há uma flexibilidade relativa para montar rotas por regiões distintas. Emissão online somente voando TAP (neste caso, voos somente ida são precificados adequadamente, mais baratos que ida-e-volta).

Iberia Plus (Avios)

O programa é um pouco complicado pois possui tabela, por distância, diferente para voos próprios ou em parceiros e valores para baixa ou alta temporadas. A emissão só de ida funciona somente em voos operados por Ibéria ou British, nos demais parceiros, somente emissão ida-e-volta.

Além disso, é possível transferir seus pontos do Ibéria Avios para o British Avios (explicado melhor aqui). Nesta confusão toda, os valores para Europa e Ásia são de voos pela Ibéria em baixa temporada, os demais emitidos com British Avios em voos diretos de parceiros.

AAdvantage

Programa da American Airlines, com valores tabelados de voos próprios e de parceiros, sendo possível encontrar valores abaixo da tabela em voos da própria AA. Coloquei os valores de parceiros, que são ligeiramente superiores aos próprios, e para Ásia adotei o valor um pouco mais alto para a região.

Mileage Plus

Programa da United, que aboliu recentemente tabela de valores tanto em voos próprios quanto de parceiros. Os valores indicados foram os encontrados com parceiros, sendo que na Ásia houve variação maior dependendo do aeroporto pesquisado.

Skymiles

Programa da Delta, com preços dinâmicos e malucos. Para América do Norte, os valores mais baixos são voando Aeroméxico, já para Ásia e Oceania, com a própria Delta, que cobra mais barato, nos voos próprios, para estas regiões mais distantes do que somente até os EUA. Demais regiões, preços encontrados em voos da Air France ou KLM.

Aeroplan

Programa da Air Canada, com preços tabelados muito bons e, em emissões ida-e-volta, possibilidade de dois stopovers ou um stopover e um open-jaw (como no Miles&Go).

Lifemiles

Programa da Avianca, com valores tabelados em voos de parceiros. Algumas vezes nas emissões online não aparecem todos os parceiros ou conexões mais longas. A tabela do programa é muito boa e, para Ásia, o menor valor é encontrado para a região Sul.

Skywards

Programa da Emirates, com valores tabelados por distância. A precificação só ida é, proporcionalmente, mais cara que ida-e-volta. Todos os valores indicados são para voos de ida com a própria Emirates, exceto o da América do Norte, que não precifica a partir do Brasil. Está indicado então com a parceira Copa (os produtos são muito similares J).

Krisflyer

Programa da Singapore, com bons valores, tabelados por região.

Flying Blue

Programa da Air France, com precificação dinâmica.

Comparando os Programas

Conferindo agora a tabela, para todas as regiões, os menores valores são encontrados em empresas da Star Alliance que, não por coincidência, possuem tabelas de valores por região. A única exceção, para a Europa, fica com a Ibéria, que também possui tabela de valores, porém por distância percorrida.

Apenas três programas, entretanto, são parceiros de cartões de crédito nacionais. O Miles&Go recebe pontos de diversos cartões, com a exceção mais importante do Santander, que é o único que transfere para a Ibéria a partir do seu programa Esfera e conta, ainda, com cartão co-branded do AAdvantage.

Clientes Livelo podem até transferir para Ibéria e British Avios ou Flying Blue, porém com deságio de 50%. E para o Lifemiles, inicialmente a paridade era 1:1, passou para 1,3:1, depois 1,5:1, até que foi anunciada a suspensão das transferências de pontos (o deságio já havia deixado a transferência pouco interessante).

Os programas nacionais, em praticamente todos os casos, cobram valores muito mais elevados que seus congêneres estrangeiros. Para compensar a regular mudança de regras e os altos preços, os programas oferecem (ou justamente por causa disso), regularmente, bônus nas transferências de pontos.

Para os programas estrangeiros, só me recordo de um bônus de transferência para a Ibéria, de 50%, oferecido em novembro de 2016 pelo finado Membership Rewards.

A exceção fica com o programa semi-estrangeiro (ou semi-nacional J) Miles&Go, que regularmente, e desde 2009, oferece bônus na transferência de pontos dos cartões nacionais, normalmente com generosos índices de 100% ou mais.

Para avaliar o impacto destes bônus, fiz nova comparação, utilizando os índices mais altos e comuns ofertados, e olhando apenas para os programas que recebem os pontos de cartões nacionais.

Algumas Palavras

O que temos, então? Mesmo sem qualquer bônus, o Ibéria PLus ainda é o melhor programa de pontos para a Europa, mas somente em seu voo direto até Madrid.

Para o restante do continente e do mundo o programa TAP Miles&Go é o que, de forma disparada, possui os menores valores para emissão de passagens em executiva utilizando pontos de cartões de crédito nacionais (ou pontos dos programas Livelo e, provavelmente, iupp), combinando com os bônus de transferência, que tem sido oferecidos com regularidade (já foram pelo menos 8, neste ano, de 120% ou mais, mediante participação em clubes e/ou compra de pontos).

O programa, entretanto, tem o histórico de ter promovido uma série de alterações, de curto prazo ou sem aviso qualquer, nas suas tabelas e regras, em 2017 e 2018. Caso isto ocorra ou se, mesmo com anúncio de antecedência razoável, houver alguma mudança significativa em suas tabelas, passaremos a ter um custo muito superior para a emissão de passagens.

As alternativas, com exceção específica para os detentores dos cartões Santander AAdvantage, seriam programas que possuem custos variáveis e, no caso dos nacionais, histórico de baixa estabilidade e respeito aos seus clientes.

O Santander, apesar de normalmente se excluir dos melhores bônus de transferência oferecidos, seria a melhor solução para os milheiros nacionais, por oferecer acesso às duas únicas opções de programas de maior confiabilidade e estabilidade, se o TAP Miles&Go se “Amigasse, Latamzace, Smileace ou Azulzace”.

E pode ficar ainda melhor, dependendo de seus planos comerciais futuros. Este era, na verdade, o assunto que queria escrever originalmente. Mas, mais de 1.700 palavras depois, vou ter de continuar falando sobre o melhor programa de pontos em outra postagem.


Mais uma vez agradecemos ao Carlos que, como sempre, nos brinda com suas excelentes análises!