As aéreas que deixaram de existir em 2015

0

[O ano de 2015 não foi fácil para nós brasileiros, a crise chegou devastando a economia do país porém em lugares distantes diversas empresas aéreas também não conseguiram sobreviver ao último ano. Estima-se que mais de 50 aéreas faliram em 2015, veja algumas delas abaixo.
[accordion]
[toggle title=’Air Croatia’]Air CroatiaCroácia: Abril/2015 a Abril/2015
Frota: 1 avião / Destinos: 5
Poucas vendas resultaram na suspensão de uma rota após a outra. Todos os voos foram suspensos após um desentendimento entre Air Croatia e sua operadora de cartões de crédito parceira resultando em uma crise de fluxo de caixa e impossibilitando-a de pagar o leasing de sua única aeronave.[/toggle]
[toggle title=’B & H Airlines’]B & H AirlinesBósnia Herzegovina: Junho/2005 a Julho/2015
Frota: 1 avião / Destinos: 3
A maior surpresa da B&H foi quanto tempo ela durou. Em 2013 o CEO da companhia chegou a afirmar: Estamos apenas esperando quem irá fechá-la primeiro. O único avião da empresa nunca conseguiu a rentabilidade esperada. Apesar das tentativas do governo em vender a empresa, sua queima de caixa fez com que eles desistissem. Esta foi a segunda tentativa do governo em possuir uma companhia aérea, a primeira havia sido a Air Bosnia.[/toggle]
[toggle title=’Business Air’]Business AirTailândia: Dezembro/2009 a Janeiro/2015
Frota: 2 aviões / Destinos: 4
A Business Air suspendeu toda sua operação em 16 de janeiro de 2015 porém retornou no formato de uma nova marca chamada Intira Airlines.[/toggle]
[toggle title=’Cyprus Airways’]Cyprus AirwaysChipre: Abril/1948 a Janeiro/2015
Frota: 6 aviões / Destinos: 13
A Cyprus Airways sobreviveu a grandes turbulências na história da ilha tendo seu pico nos anos 90. Em 2006 a empresa estava com problemas financeiros sendo impactada pela crise econômica, a alta do preço dos combustíveis e a entrada de concorrentes low cost no país. Em 2012-2013 o governo do Chipre tentou socorrer a companhia porém em Janeiro de 2015 uma comissão européia exigiu que o dinheiro fosse devolvido por ilegalidade. Esta ação causou a quebra da empresa e a suspensão de suas licenças.[/toggle][toggle title=’Estonian Air’]Estonian AirEstônia: 1991 a Novembro/2015
Frota: 14 aviões / Destinos: 20
A companhia foi fundada pelo governo da Estônia para preencher o espaço deixado pela falência da Aeroflot Estônia após o colapso da União Soviética. A empresa expandiu sob o comando de vários donos ao longo dos anos 1990 e 2000. Desde 2008 a companhia apresentava problemas financeiros até receber auxílio do governo. Uma comissão européia julgou a ajuda ilegal e 65 milhões de euro tiveram que ser devolvidos imediatamente causando a falência da empresa.[/toggle][toggle title=’Eurolot’]EurolotPolônia: 1996 a Janeiro/2015
Frota: 14 aviões / Destinos: 20
Eurolot fornecia serviços para voos domésticos e regionais para a empresa polonesa logística LOT (com problemas financeiros) e serviços regionais com a sua própria marca. Problemas financeiros fizeram com que o Tesouro Polonês, seu dono, acabasse com a empresa.[/toggle][toggle title=’Intersky’]InterskyÁustria: Novembro/2002 a Novembro/2015
Frota: 4 aviões / Destinos: 20
Presente num mercado extremamente competitivo para uma empresa tão pequena, eles deviam cerca de cinco milhões de euros aos aeroportos europeus, tiveram seus aviões devolvidos e um potencial investidor desistiu da empresa.[/toggle][toggle title=’Island Airlines’]Island AirlinesEstados Unidos: 1930 a Dezembro/2015 (mudou de nome em 1991)
Frota: 8 aviões / Destinos: 2
A empresa que operava voos em Cabo Cod, em Massachusetts culpa o serviço expresso de balsa e as altas taxas pela sua falência. Iniciada em 1930 como Erie Isle Airways, teve seu nome alterado em 1991 e são poucos os norte americanos que sabem que uma das empresas aéreas mais antigas do país deixou de operar em 2015..[/toggle][toggle title=’Little Red’]Virgin Atlantic Little RedInglaterra: Março/2013 a Setembro/2015
Frota: 4 aviões / Destinos: 4
Quando o IAG comprou a British Midland, ela teve que abandonar alguns slots domésticos do aeroporto de Heathrow. A Virgin Atlantic comprou estas vagas e lançou a Little Red, apenas para voos domésticos. A empresa possuía um nível de ocupação de apenas 37,6% dos assentos por voo em 2013, o que era insustentável.[/toggle][toggle title=’SkyGreece’]Skygreece AirlinesCanadá: Maio/2015 a Agosto/2015
Frota: 2 aviões / Destinos: 7
Existem 252.960 canadenses que afirmam possuir descendência grega. Um grupo de empresários e um padre Grego Ortodoxo acreditavam que estas pessoas gostariam de voar para a Grécia com a hospitalidade daquele país. Eles contrataram uma empresa Búlgara para fornecer alguns voos mas não honraram os pagamentos.[/toggle][toggle title=’Syphax Airlines’]Syphax AirlinesTunísia: Abril/2012 a Julho/2015
Frota: 2 aviões / Destinos: 13
Essa companhia aérea nunca foi lucrativa, perdendo dinheiro desde seu primeiro voo. A instável situação política da Tunísia e a economia mundial fizeram com que a empresa encerrasse seus serviços em 2015.[/toggle][toggle title=’Transaero’]TransaeroRússia: Novembro/1991 a Outubro/2015
Frota: 156 aviões / Destinos: 97
Esta companhia aérea costumava ser lucrativa porém entre 2010 e 2014 adotaram uma política de expansão agressiva causando um sério problema financeiro graças à contração da economia russa. Grandes perdas resultaram em dívidas impagáveis levando a empresa à falência.[/toggle][toggle title=’US Airways’]US AirwaysEstados Unidos: 1939 a Outubro/2015
Frota: 331 aviões / Destinos: 153
A marca US Airways foi aposentada após sua integração à American Airlines no final do ano passado.[/toggle]
[/accordion]
Sete Linhas AéreasAlém dos exemplos acima, podemos destacar uma empresa brasileira que, apesar de não ter desaparecido, deixou de operar voos comerciais em 2015, a Sete Linhas Aéreas. A partir de 2016 a companhia irá trabalhar em uma reestruturação devido a uma crise financeira interna porém continuará com os serviços de fretamento de aeronaves.