Avianca entra com pedido de recuperação judicial

13
Avianca deverá reduzir em até 30% o número de empregados

A Avianca Holdings entrou hoje com um pedido de recuperação judicial na corte de falências de Nova York. A pandemia do covid-19, associada à crise que já assolava a empresa há mais de um ano, foram apontados como os responsáveis por tal ação.

Segundo o CEO da empresa, Anko van der Werff, “a Avianca está enfrentando a crise mais desafiadora em seus cem anos de história”.

A Avianca declarou que tem dívidas entre US$ 1 e US$ 10 bilhões de dólares, cá entre nós, nada preciso. Em paralelo, há relatos de que a empresa irá reduzir significativamente as suas operações em Lima, um de seus principais hubs.

A Avianca Holdings é hoje a segunda maior empresa aérea na América Latina, atrás apenas do Grupo Latam. É importante notar que um pedido de recuperação judicial, não significa falência, mas sim uma proteção judicial para a empresa enquanto ela se re-estrutura.

Enquanto no Brasil os casos de recuperação judicial no setor aéreo tem um histórico de sucesso zero, todas as grandes empresas aéreas norte-americanas passaram por isso e conseguiram se reerguer. Nos resta esperar e ver em qual das estatísticas a Avianca irá figurar.

Impacto nos Clientes Brasileiros

Antes do covid-19 a Avianca operava voos para São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre a partir de Bogotá e Lima. Se, no pior dos casos, a empresa suspender suas operações em definitivo, será mais uma porta que se fecha para o mercado Brasileiro.

E, como sempre, menos concorrência gera aumento de preços.

O LifeMiles

Depois do desaparecimento do Programa Amigo da Avianca Brasil, o LifeMiles, programa de milhagens da empresa, tornou-se uma opção para muitos clientes brasileiros para emitir passagens em empresas da Star Alliance.

Agora, diante do cenário atual, o que fazer com milhas LifeMiles? Sem ser alarmista, mas olhando para o passado, a melhor opção no momento para quem tem pontos no programa seria fazer a emissão de passagens com empresas parceiras e zerar o saldo de milhas no programa.

Casos passados nos mostram que as demais empresas da Star Alliance tendem a honrar as passagens já emitidas quando uma empresa da aliança suspende suas operações. Mas agora estamos falando de um cenário com covid-19 e uma crise global onde tudo pode ser diferente!

Algumas Palavras

Nesse momento só nos resta torcer para que a Avianca consiga sobreviver a essa recuperação judicial e saia fortalecida desse processo, ainda que menor. Além dos muitos empregos que seriam perdidos, seria também uma grande perda para os clientes sul americanos.

Para Saber Mais

Clique aqui para acessar a página da Avianca