Clonagem de cartões Bradesco está de volta?

26
TudoAzul, Itaucard e Credicard oferecem até 100% de bônus na transferência de pontos

Em abril do ano passado eu relatei um caso crítico de cartões The Platinum Card, da American Express, emitidos no Brasil pelo banco Bradesco. À época, fraudes estavam acontecendo com muitos leitores de forma bastante parecida, você pode ver maiores detalhes clicando aqui.

Recebi um relato do leitor Rafael Germano com fraudes muito semelhantes àquele caso do ano passado, porém com um cartão ELO NANQUIM emitido também pelo Banco Bradesco.

Ele relatou que solicitou o cartão de crédito ELO NANQUIM junto ao Bradesco e teve diversas compras não reconhecidas no mês de dezembro de 2019. Ligou na central para reclamar, recebeu o estorno dos valores e teve o cartão clonado cancelado. A nova via chegou em janeiro de 2020.

Posteriormente, não se recorda se havia desbloqueado ou não o cartão em janeiro, porém novamente teve compras não reconhecidas no mesmo. Voltou a ligar na central de atendimento, recebeu o estorno dos valores e cancelamento do cartão de crédito clonado.

Agora, entre o fim de janeiro e início de fevereiro, ele recebeu nova via de seu cartão e SEM DESBLOQUEÁ-LO teve, mais uma vez, compra não reconhecida. No caso, ele informou que passaram o cartão na SKY, conforme print screen abaixo.

ELO NANQUIM Clonado sem desbloqueio
ELO NANQUIM Clonado sem desbloqueio

Aparentemente, o que está acontecendo com o Rafael é exatamente o que aconteceu com clientes American Express no ano passado. Alguém mais teve essa mesma experiência com o cartão ELO NANQUIM emitido pelo Bradesco?

Algumas Palavras

Fico bastante perplexo de como um cartão de crédito que ainda está dentro do envelope, bloqueado, pode ser utilizado em fraudes. Se um fraudador consegue um dado tão sigiloso de uma instituição financeira com essa facilidade, imagine só o que não conseguem com o restante de nossos dados como renda, CPF, nome completo e etc.

É uma situação realmente preocupante e que atinge o banco NOVAMENTE em menos de UM ANO dos casos AMEX. O que vocês acham? Mais alguém passou por isso recentemente?