Covid-19 e a lenta retomada dos voos internacionais

13
Covid-19 e a lenta retomada dos voos internacionais

No começo deste ano jamais imaginávamos que passaríamos pelo que estamos vivendo e quando começou achamos que seria rápido. Nem mesmo os mais pessimistas esperavam tanto! Dentre muitos outros impactos, a gravidade da crise causada pela covid-19 está atrasando a retomada dos voos internacionais.

No Brasil, foco deste artigo, a situação não é diferente. Acredito inclusive que algumas empresas talvez nem voltem para o nosso país tão cedo. Além disso, as que estão voltando o estão fazendo em um ritmo bem tímido.

TAP

A TAP deverá operar 32 voos semanais para o Brasil no mês de outubro, incluindo 2 voos semanais para Belo Horizonte.

De acordo com algumas informações que tive acesso, no caso do Belo Horizonte, tudo indica que a cia portuguesa continuará com 2 voos semanais até pelo menos 15 de dezembro.

Delta Air Lines

Segundo o Routes Online A Delta Air Lines, que planejava retomar os voos entre São Paulo e Nova York em outubro, o fará somente a partir de 18 de dezembro.

American Airlines

Novamente segundo o Routes Online, a American Airlines irá suspender o voo sazonal normalmente operado durante o verão entre o Rio de Janeiro e Nova York.

Lembrando que São Paulo já havia perdido o voo para Los Angeles e Brasília o seu voo para Miami.

Emirates

A Emirates que operava com o A380 a rota São Paulo – Dubai o está fazendo com um B777-300, ou seja, reduziu a capacidade.

Alitalia

A empresa, já ensaiou o retorno para o Brasil duas vezes, anunciou recentemente que só voltará a pousar em São Paulo no mês de dezembro.

O voo para o Rio de Janeiro, no entanto, continua previsto apenas para o março de 2021.

Copa Airlines

Acredito que a Copa é uma das únicas a ter boas notícias no momento. Em outubro a empresa retorna ao Galeão com três voos semanais. Enquanto isso, São Paulo ganhará um segundo voo diário.

Algumas Palavras

Infelizmente a situação não está fácil para nenhuma empresa aérea. Mesmo as que já retomaram seus voos, têm tido ocupações bem baixas.

Eu particularmente acho que enquanto não tivermos uma vacina para a covid-19, que não vejo viável antes do primeiro semestre de 2022, a vida não voltará ao normal e a retomada dos voos internacionais será extremamente lenta.

Maxmilhas