El Al não honrará passagens do bug

0

A El Al, companhia aérea israelense, enviou comunicado oficial informando que não honrará as passagens emitidas no bug de 8 de setembro.

Abaixo, a íntegra do comunicado:

Prezados Parceiros,

Como resultado de uma falha técnica, ontem (8 de setembro de 2019) por um período de três horas, uma tarifa errada foi disponibilizada para venda em voos da EL AL do Brasil para Israel via EUA (em combinação com outra companhia aérea). A EL AL cancelou todas as reservas feitas com a tarifa errada e vai reembolsar a todos os passageiros o valor integral pago pelos bilhetes que foram emitidos.

A EL AL agradece a compreensão e se coloca à disposição para eventuais esclarecimentos.

No domingo pela manhã, houve uma falha no sistema de reservas da empresa, e foi possível emitir passagens para Israel por menos de R$ 1.000,00 em econômica. Eu vi gente que conseguiu bilhetes, via Nova York, por cerca de R$ 900,00. O trecho entre o Brasil e os Estados Unidos era operado pela American Airlines.

Imagino que os passageiros que conseguiram as passagens queiram entrar em juízo contra a companhia aérea para que ela honre com as passagens.

Sugiro entrar em contato com a empresa primeiro e obter uma resposta pessoal, com nome do atendente e número de protocolo, se for o caso.

Um leitor acaba de me sugerir entrar em contato no Facebook, Instagram e Twitter da empresa. É uma ótima ideia!

Acredito que aqueles que efetivamente conseguiram a emissão, com código de reserva e pagamento aceito e efetuado pela administradora de cartões de crédito, tenham boas chances nos Juizados Especiais Cíveis.

Pessoalmente, considero que o preço da passagem não pode ser considerado irrisório. Já vi a LATAM oferecendo passagens bem baratas na rota São Paulo – Tel Aviv.

Eu tendo a ficar ao lado dos consumidores nesses casos. As empresas aéreas às vezes cobram, sem dó nem piedade, USD 300 para cancelar ou alterar uma passagem que custou USD 500.

Há pessoas que consideram a (i)moralidade de se ingressar em juízo nesses casos. Eu acho que cada um deve agir de acordo com a própria consciência e nada mais.