Empresas aéreas – Assumam o risco da covid-19 e talvez vocês tenham mais passageiros!

22
Empresas aéreas - Assumam o risco da covid-19 e talvez vocês tenham mais passageiros!

Há algumas semanas atrás eu publiquei três artigos (leia-os aqui, aqui e aqui) que falam sobre os procedimentos de reembolso de passagens adotados pelas empresas aéreas internacionais que operam no Brasil. De um modo geral, todas seguem a mesma linha, inclusive as brasileiras.

Reembolso de Passagens

Algumas são bem claras em suas páginas de internet de como os clientes devem proceder para pedir um crédito ou remarcar voos. Outras, por sua vez, criam um emaranhado de regras que é preciso desenhar para conseguir entender.

Entretanto, todas elas têm um ponto em comum. Se negam a oferecer, de forma proativa, o reembolso das passagens aos clientes. Várias delas, como a British Airways, Lufthansa, Swiss, por exemplo, o estão fazendo, porém o fazem por pressão do governo dos seus países. E para conseguir o tal reembolso é preciso ligar para a empresa.

E como não poderia deixar de ser, a história no Brasil não é muito diferente. Aqui as empresas, respaldadas por uma medida provisória, têm até 1 ano para reembolsar o cliente.

Compra de Passagens

Vestindo o chapéu das empresas por um minuto, eu até entendo a resistência em devolver dinheiro aos seus clientes. Ao fazer isso, as empresas estariam depenando ainda mais os seus já combalidos fluxos de caixa.

Agora o que me surpreende, e por vezes chego a pensar que é até uma afronta, é o fato destas mesmas empresas que estão desesperadas por dinheiro novo não fazerem nada de concreto para incentivar os passageiros a comprarem passagens. Explico!

A pandemia da covid-19, embora sob controle em várias partes do mundo, ainda está longe de um desfecho e isso tem um impacto direto nas viagens aéreas. Por mais que façamos planos, tudo pode ser cancelado no último minuto. E esse é o ponto a que quero chegar.

As cias aéreas estão tão cientes desse problema quanto nós. Mas o que fazem? Nos oferecem uma passagem aérea, mas se o voo for cancelado, não nos oferecem a possibilidade da devolução imediata do dinheiro. Ora, por que eu vou comprar uma passagem sabendo de antemão que se o voo for cancelado eu levarei até 1 ano para ter o meu dinheiro de volta?

Isso para mim é um negócio de risco. Mas risco apenas para um dos lados – o dos passageiros.

A meu ver, as empresas aéreas deveriam seguir o exemplo da Qatar Airways e oferecer a possibilidade de reembolso imediato caso o passageiro mude de ideia. Vamos compartilhar o risco, eu me arrisco a comprar uma passagem e não viajar e a cia aérea corre o risco de ter que me devolver aquele dinheiro caso o voo seja cancelado. Me parece justo, não?

Empresas aéreas, assumam o risco da covid-19 e quem sabe vocês não terão mais clientes comprando passagens?