[Guest Tutorial] Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 4

0

Esta parte do tutorial trata especificamente da abertura de conta corrente em bancos americanos. Vamos a ela!

Abertura de Conta Corrente

Quase todos os bancos permitem a abertura de conta corrente por turistas. Pode haver alguma dificuldade com a questão do endereço ou SSN  (1, 2 e 3). Mas normalmente bastam duas identidades (passaporte, visto, CNH…), endereço, telefone e um pouco de persistência.

A abertura da conta corrente pode ser um meio ou fim. Meio para o pagamento de faturas de cartão de crédito e estabelecimento de relacionamento com o banco, ou fim para evitar o custo adicional de 10% de transações internacionais.

Como informado anteriormente, quase todos os cartões de débito cobram uma taxa (em torno de 3%) se usados fora dos EUA. Uma exceção é o TD Bank, que pode ser usado em todo o mundo.

Alguns bancos dão a opção de obter um cartão de débito provisório na hora. Segundo relatos, o Wells Fargo permite a abertura de conta somente com o endereço brasileiro.

A escolha do banco dependerá dos objetivos. Se o cartão de débito for suficiente, TD Bank ou Wells Fargo parecem ser boas opções. Se o caminho dos cartões de crédito for o almejado, Bank of America (BofA), Wells Fargo e Citibank são as opções mais indicadas, por oferecem a opção de cartões de crédito com caução, necessário para construção do histórico de crédito, que será discutido a seguir.

O Banco do Brasil possui um banco na Flórida que, para a função débito, pode ser uma boa opção. Mas é cada vez maior as mudanças e dificuldades de utilização desta opção. Além disso, o cartão de crédito do banco não gera score nos EUA. Para a escolha deste banco, recomendo a leitura de https://www.falandodeviagem.com.br/viewtopic.php?f=243&t=7992

Normalmente, os bancos exigem um saldo mínimo de U$ 1.500 para isenção da taxa mensal de manutenção da conta ou uma quantidade mínima de transferências mensais. Os tipos de transferência que valem são discutidos em https://www.doctorofcredit.com/knowledge-base/list-methods-banks-count-direct-deposits/, mas não há uma definição precisa. 

A mensalidade das contas gira em torno de U$ 15, mas há outras opções: no BofA, por exemplo, existe uma conta (Advantage SafeBalance) que cobra U$ 5 mensalmente, mas a isenção é difícil. Achei mais vantajosa para o meu caso.

O abastecimento da conta pode ser feito por depósitos em dinheiro ou cheque e, o mais comum, através de transferências bancárias. Do Brasil, as opções mais econômicas costumam ser o Transferwise* ou Remessa Online*, que entram como depósito ACH e não são cobrados (sim, você pode ter de pagar uma taxa por receber um depósito). (*nestes links, recebo um bônus se alguém se cadastrar e usar a transferência. Agradeço se for útil)

Ambas as opções funcionam através da transferência de reais por TEDs ou pagamento de boletos. Os sítios já indicam o valor correspondente que será depositado em dólar, normalmente em até 48 horas úteis, na conta indicada, com um spread entre 1,5% a 2,5% do valor transferido em relação ao dólar comercial.

Há limites de envio diário ou mensal ou anual, dependendo da empresa. Também é interessante a leitura desta postagem do Remessa Online sobre imposto de renda (em resumo, entendi que é necessário declarar apenas o saldo da conta no exterior).

Minha abertura de conta corrente no BofA não foi imediata, como dito no texto sobre endereços americanos. Na primeira agência, após receber o não da atendente em pé, fui para a segunda agência, onde esperei uns 10 minutos até ser atendido por um gerente em uma sala fechada.

Deu para perceber a diferença de treinamento dos funcionários. Informando que eu era um non-resident alien, o gerente sabia exatamente como proceder. Primeiro meus dois documentos, depois meu endereço no Brasil, meu endereço americano para correspondências, cadastro de números de telefone americanos, cadastro de senhas, download do aplicativo do banco, assinar formulário W8BEN que minha tributação é feita no Brasil, cartão de débito provisório e pronto. Sai para depositar dinheiro na conta pelo caixa eletrônico e voltei para discutir sobre os cartões de crédito.

Para ler os demais posts desse tutorial, clique nos links abaixo:

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Introdução

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 1 > contém orientação básica sobre documentação e requisitos

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 2 > trata da exigência de endereço nos EUA[

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 3 > trata da exigência de telefone nos EUA

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 4 > trata da conta corrente

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 5 > trata dos cartões com caução, o FICO score e estratégias para obter o cartão sem caução

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 6 > fala sobre como aplicar para cartões que não exigem caução

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 7 > dá um panorama das opções de cartões americanos

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 8 > fala exclusivamente sobre o AMEX