Histórias e Viagens: Meu primeiro voo num A380 da Emirates

4
Histórias e Viagens: Meu primeiro voo num A380 da Emirates
A380 Emirates

Neste artigo do Histórias e Viagens, o nosso leitor Gustavo compartilha conosco como foi o seu primeiro voo no A380 da Emirates num voo entre Dubai e Cairo, com conexão em Dubai.

Mas antes, lembrem-se: Fez uma viagem inesquecível? Fez uma viagem horrível? Pagou um mico no exterior? Foi enganado e te cobraram mais do que deveriam? Conseguiu fazer uma super emissão de passagens para dar a volta ao mundo? Fez um churrasco no quintal e foi ótimo? Conte para nós! Basta entrar em contato através do info@pontoseviagens.com.

Agora, vamos à história do Gustavo!

Matando uma Curiosidade Antiga

O voo de Dubai ao Cairo não é longo, em torno de 3,5 horas. No mês de dezembro, a Emirates operava com três frequências diárias a rota DXB–CAI: uma decolagem pela manhã, uma à tarde e outro voo à noite. O voo da manhã e o noturno eram operados pelo Boeing 777-300, e o vespertino com o A380.

Como sempre tive o sonho de voar no A380, óbvio que escolhi o da tarde. Mas o modo como achei esse voo merece um comentário à parte, o que farei no tópico da emissão.

Emissão da Passagem via Smiles

A emissão do bilhete foi feita usando milhas Smiles, de forma bem prática, simples e rápida. Dois comentários merecem registro quanto à emissão.

O primeiro deles é que cancelei e resgatei o bilhete umas três ou quatro vezes. Isso em virtude da política adotada pela Smiles até o final do ano (salvo engano) de permitir o cancelamento dos bilhetes resgatados sem qualquer cobrança de taxas e/ou multas.

Como bom milheiro, resgatei o voo e sempre olhava no site a variação do valor. Quando caiu um pouquinho, cancelei o bilhete e fiz um novo resgate. Daí, na noite anterior ao embarque para Dubai, a passagem reduziu mais um pouquinho. Resultado: lá fui eu cancelar de novo o bilhete e emitir um novo.

O segundo comentário é referente à descoberta de que a rota era operada pelo A380. Entre resgates, cancelamentos e reemisões fui bisbilhotar no aplicativo da Emirates quanto era o valor do voo. Para minha completa surpresa, ao verificar os três voos diários exibidos no app, descobri que o da tarde era operado pelo A380. Obviamente, esse foi o escolhido!

Para finalisar, a minha emissão custou 23.600 milhas mais taxas.

Voo no A380 da Emirates – Check-in

O check-in foi feito pelo celular antes do voo, salvo engano com 48 horas de antecedência. Acessei o site da Emirates, inseri o localizador da reserva e o sobrenome e os campos a serem preenchidos foram exibidos. Processo fácil e rápido, sem maiores complicações. O fato de o site estar em língua portuguesa descomplica o processo.

Aqui vai uma dica: vale a pena fazer o check-in online tão logo seja liberado, pois você pode escolher o assento gratuitamente. Caso deseje marcar o lugar antes desse período, há cobrança de valor que varia de acordo com o assento escolhido.

Resultado do teste de covid-19

Realizado o check-in, apresentei-me no Aeroporto de Dubai com a antecedência necessária. Na entrada, um funcionário da Emirates conferiu o destino e se era necessário portar um exame de RT-PCR com resultado negativo. No caso do Egito, a exigência do país africano era um teste realizado até 72 horas antes do embarque. O funcionário pediu o laudo, conferiu e me encaminhou para o despacho automático de bagagem.

No despacho automático havia alguns funcionários da companhia auxiliando os passageiros. A que me auxiliou pediu o teste RT-PCR para conferência e, constatando estar em conformidade com a exigência, digitou o localizador na máquina e a etiqueta de bagagem e os bilhete foram impressos.

A propósito, em virtude da exigência do teste RT-PCR para entrar no Egito, eu o fiz em uma clínica em Dubai Marina, cujo resultado chegou ao meu e-mail 24h depois.

Atenção: embora o laudo chegue via e-mail, é necessário comparecer à clínica/laboratório para eles carimbarem o papel. A Emirates não aceita o laudo com apenas a assinatura eletrônica enviado pelo e-mail.

Prosseguindo, após o despacho da bagagem, compareci à imigração. O controle de passaporte (se ele tiver chip) é todo automatizado. Basta encostar a página da foto no local indicado, a máquina faz o reconhecimento facial e libera o acesso à área de embarque. É o mesmo procedimento adotado para sair e entrar do Brasil com o passaporte com chip.

Voo no A380 da Emirates – Embarque

O processo de embarque é diferente do padrão adotado no Brasil. Um pouco antes do horário indicado no bilhete, o portão de embarque é aberto e os passageiros devem se apresentar com os documentos e bilhetes para conferência. Após a checagem, os passageiros acessam uma antessala isolada, onde aguardam o embarque propriamente dito. Da antessala só é possível ir até o avião ou retornar ao local onde os funcionários conferem os documentos.

Chegado o horário marcado no bilhete, a funcionária chama os passageiros segundo os grupos assinalados na passagem. O embarque ocorre com rapidez, pois a conferência dos documentos fora feita antes. Eu, particularmente, achei esse processo mais interessante e mais rápido.

Histórias e Viagens: Meu primeiro voo num A380 da Emirates
A380 Emirates

Da antessala, onde aguardava o embarque propriamente dito, pude ver o avião que faria o voo: o A380-800 de matrícula A6-EVD, com pouco mais de 2 anos de uso. Lindo!!! Mal via a hora de entrar nele e ver como era o interior.

Finalizado o embarque, o avião taxiou até a cabeceira da pista e decolou às 15h32, meia hora atrasado em relação ao horário previsto. Todos os passageiros puderam ver imagens externas do taxiamento e da decolagem graças às câmeras instaladas no gigante.

Finalmente chamaram meu grupo para embarque e segui pelo finger até a entrada do avião. Quando cheguei à porta, vi aquela escada maravilhosa que levava ao segundo andar, vulgo first class. Mentalmente eu subi aqueles degraus, um por um, e me sentei no bar. Mas o corpo, que ainda estava conectado à realidade, passou direto pela escada e se acomodou na 50J, na econômica mesmo. Ah se aquela passagem de primeira classe no Smiles não custasse dois rins e uma córnea!

Voo no A380 da Emirates – A Cabine

Um fato que me chamou a atenção foi que meu assento estava localizado bem na frente do avião, embora fosse na fileira 50. Percebi que a numeração das fileiras não começava no 01, pois se assim fosse, meu assento seria o 10 ou 11. Uma hipótese que deduzi é que a numeração deve começar no andar de cima, onde estava minha mente, e continuava no andar de baixo, onde o corpo estava. Não sei se estou certo ou errado, mas é a conclusão que cheguei.

Histórias e Viagens: Meu primeiro voo num A380 da Emirates
Cabine – Classe econômica A380

O interior do avião era menor do que esperava, embora com ares de novo. Depois de tantos relatos o intitulando de gigante dos céus, o maior avião de todos, eu esperava um interior bem vultuoso. Porém, tanto em comprimento quanto em largura, não me pareceu maior que o 777. A disposição de cadeiras era a mesma do Boeing, ou seja 3x4x3.

Após chegar ao assento, fui logo ver o que tinha para ser explorado. A tradicional tela de entretenimento, com as opções rotineiras: filmes, séries, mapa de voo, músicas. Quanto aos filmes e séries, era possível filtrá-los por língua, já que cada um possuía legenda e áudio em determinados idiomas.

A380 Emirates – Phones de ouvido

O fone com seu conector diferente era entregue em embalagem fechada.

Histórias e Viagens: Meu primeiro voo num A380 da Emirates
A380 Emirates – Monitor

Quanto aos filmes e séries em português, achei a oferta bem pobre, com poucos títulos. A empresa poderia incrementar e muito as opções na nossa língua. Como era um voo não muito longo, e eu não estava com vontade de assistir nada, deixei a tela no mapa do voo, que é algo que agrada.

Histórias e Viagens: Meu primeiro voo num A380 da Emirates
Rota do voo entre Dubai e Cairo

No bolsão da cadeira à frente estava o tradicional cartão de segurança, com instruções para casos de emergência, as quais espero nunca ter que colocar em prática nessa vida. Deus me livre. O saquinho de enjoo também estava ali.

O Voo no A380 da Emirates – Serviço de Bordo

Passado algum tempo, começou o serviço de bordo. Havia duas opções de prato principal: arroz com frango e paella. Como não gosto de frutos do mar, escolhi o frango. Estava bem saboroso, com um tempero com gosto de quero outro. Por que comida de avião é tão gostosa?

Entrada

Ao longo das 3h30min de voo, o avião sobrevoou alguns desertos, sendo uma imagem bem interessante de se ver e registrar da janela.

Serviço de bordo – Frango

Antes do pouso, os comissários entregaram o formulário que deveria ser preenchido e entregue à imigração egípcia, além de uma declaração de saúde. No meu caso, eles falaram para pegar o formulário da declaração de saúde em inglês no aeroporto, pois no avião havia apenas em árabe.

Às 17h01min o avião tocou o solo do Cairo, 15 minutos antes do previsto, estabelecendo o fim do voo EK-923. Hora de passar por todo o processo de entrada no país.

Algumas Palavras

Imagina uma decolagem e um pouso extremamente suaves, que você mal percebe o avião se mover e correr na runway. É assim no A380.

Você mal sente ele acelerar na pista e subir. É extremamente suave e silencioso. Confesso que, por ser um avião grande, com quatro turbinas, eu esperava sentir aquele empuxo e ouvir o ruído estridente do motor. Nada disso, nada nada nada. Foi completamente o oposto. Confesso que fiquei impressionado com a suavidade desses momentos e o silêncio.

Para Saber Mais

Aqui você pode ler outras avaliações de voos.

Ao clicar aqui você obtém mais informações sobre a Emirates.

Nota: Agradeçemos mais uma vez ao Gustavo por compartilhar conosco e nossos leitores sua experiência voando no A380 da Emirates.

Maxmilhas