Jornalista expõe fraudes e golpes no Airbnb

1

A jornalista Allie Conti do VICE, um veículo de mídia, acidentalmente descobriu numerosos casos de fraudes no Airbnb nos Estados Unidos. Os golpes e fraudes, segundo a jornalista apurou, envolvem mais de 100 propriedades em, pelo menos, 8 cidades americanas, incluindo Orlando, na Flórida.

A reportagem é super longa, mas vale muito a pena ser lida (está em inglês). Deixo o link ao final, como de costume.

Para aqueles que querem a história resumida, o negócio é o seguinte …

A mecânica do golpe

O anfitrião e o hóspede marcam um horário de check-in na propriedade. Cerca de 15 – 20 minutos antes, o anfitrião liga para o hóspede avisando que houve um problema de encanamento no banheiro, que está interditado. Daí, ele oferece para o hóspede uma outra propriedade que, segundo ele, é semelhante ou melhor que a primeira.

Ele inclusive envia uma foto do novo local para conseguir o aval do hóspede.

Assim, o hóspede é pego de surpresa, em cima do laço e, sem saída, aceita a troca. Quando ele chega no novo apartamento, surpresa! É um lixo que não tem nada a ver com as fotos enviadas e fica em um local muito ruim.

E o pior: no dia seguinte ao aceitar o novo local, o hóspede é despejado e fica a ver navios!

A Allie, a jornalista, desconfiou imediatamente da história, porque o apartamento que ela havia negociado (supostamente com o casal Andrew e Becky) era em Chicago, e número do telefone que o anfitrião estava ligando tinha o prefixo de Los Angeles. Ela propôs encontrar com ele antes de aceitar a troca, mas ele falou que estava trabalhando. Para convencê-la, disse que o novo imóvel era três vezes maior do que aquele pelo qual ela havia pago.

Ela concordou, contanto que ele colocasse por escrito o acordo verbal: que ela voltaria para o apartamento original assim que o banheiro fosse consertado, ou que receberia metade do que havia pago se o problema não fosse resolvido. Ele concordou e, aí é que mora o problema, ela aceitou a mudança no aplicativo do Airbnb.

No dia seguinte, Andrew ligou para Allie informando que não foi possível consertar o banheiro e que os novos inquilinos do apartamento onde ela estava (o lixão!) chegariam em breve!

Então, Allie teve que sair do apartamento e procurar um hotel para passar o resto do fim de semana em Chicago.

O final da história de Allie

A última vez que ela ouviu falar em Andrew e Becky foi quando ela recebeu uma mensagem, via Airbnb, pedindo que ela avaliasse a experiência com 5 estrelas! Eles explicaram que qualquer problema que ela porventura tivesse tido fosse tratado privativamente, já que o algoritmo do Airbnb tinha mudado e eles não queriam receber 4 estrelas ou menos.

Quando ela perguntou sobre o reembolso, eles sumiram …

A dificuldade em reaver o dinheiro do Airbnb

Ela tentou de todos os modos reaver o dinheiro, mas somente conseguiu USD 399 dos USD 1.212,00 que ela havia pago e, mesmo assim, depois de dias e dias ligando para o Airbnb.

Um dos problemas para o reembolso é ela ter aceitado a troca. É impossível receber reembolso completo se o hóspede ficar uma noite na propriedade, ainda que não tenha sido a que ele originalmente contratou, ou que o apartamento original não apresente condições de habitabilidade.

Também há uma cláusula no contrato com Airbnb que determina é a plataforma que tem a decisão final em caso de litígio entre anfitrião e hóspede.

Ela desistiu de reaver o resto, mas ficou com a impressão de que aquele não era um caso isolado.

Os indícios

Então, ela decidiu investigar, revendo tudo o que tinha acontecido. Daí ela notou coisas nas quais ela não havia prestado atenção inicialmente:

  • o número do celular do anfitrião era um número do Google que não podia ser rastreado;
  • ela fez uma pesquisa reversa da imagem do perfil do Andrew e da Becky e descobriu que ele era de um banco de fotos de um site que comercializa papéis de parede com temas de surf para computadores;
  • nas avaliações do Andrew e da Becky, ela descobriu outras pessoas que tinham passado exatamente o mesmo que ela;
  • as avaliações boas também eram esquisitas, especialmente a de um outro casal – Kelsey e Jean – que afirmou que Becky e Andrew eram super acessíveis e comunicativos
  • entretanto, Kelsey e Jean moravam em Chicago e tinham duas propriedades listadas no Airbnb;
  • logo, para que alugariam o apartamento de Becky e Andrew na cidade?
  • investigando Kelsey e Jean, Allie descobriu que a foto do perfil deles também era de um banco de dados.

A confirmação do golpe

Os apartamentos anunciados por Kelsey e Jean mostravam fotos muito parecidas com aqueles anunciados por Andrew e Becky! Allie também achou as mesmas fotos em anúncios de dois outros casais, Kris e Becky, e Alex e Brittany!

Similaridades entre 4 apartamentos de 4 casais diferentes
Similaridades entre 4 apartamentos de 4 casais diferentes

Allie imediatamente notificou o Airbnb sobre as suas descobertas, mas a plataforma ignorou as suas informações. Segundo a jornalista, a plataforma está prestes a fazer uma OPA (oferta pública de ações) e a última coisa que ela deseja é a publicidade danosa para seus negócios.

O sistema de avaliação mútua do Airbnb

Outro ponto levantado no artigo é o sistema de avaliação mútua do Airbnb. Assim como o hóspede pode avaliar mal um anfitrião, o que repercute negativamente na sua esfera negocial, o anfitrião também avalia o hóspede. Um hóspede mal avaliado pode encontrar maiores dificuldades de ter uma locação aceita.

Assim, pessoas que pretendem usar a plataforma com mais frequência evitam o confronto com os anfitriões justamente para que tenham uma boa avaliação e melhores perspectivas de conseguir uma propriedade, caso haja outra pessoa interessada nas mesmas datas.

A rede de golpistas

Ao longo de seu artigo, Allie desvenda uma rede de golpistas que atua em Chicago, Los Angeles, Nashville, Austin, Dallas, Indiana, Milwakee e, atenção, Orlando!

Ela descobriu que, em 2015, uma organização em Los Angeles levantou dados que indicavam que grandes imobiliárias especializadas em locação estavam gerando altos lucros via Airbnb ao criarem perfis falsos de anfitriões que fazia com que eles aparentassem ser pessoas comuns.

Apesar de o Airbnb condenar informações inverídicas, a empresa não tem uma política de fiscalização rigorosa, o que permite que qualquer um se habilite como anfitrião.

Uma outra organização contatada por Allie, a Better Business Bureau, afirmou que recebeu mais de 200 reclamações do Airbnb por meio de seu “Detector de Golpes” (scam tracker), sendo metade relacionada a perfis falsos de anfitriões.

Nova notificação ao Airbnb

Municiada das provas que ela mesma levantou em suas investigações, Allie enviou nova notificação à assessoria de imprensa do Airbnb. Nela além das informações comprovadas, ela também inseriu uma série de perguntas para a plataforma.

Dessa vez, a plataforma respondeu afirmando que iria suspender os anúncios denunciados para uma investigação mais profunda. Entretanto, não foram fornecidas respostas aos questionamentos levantados pela jornalista. Tampouco a empresa se manifestou oficialmente sobre os detalhes que ela levantou em seu relato.

Finalmente

A repercussão do artigo de Allie foi tremenda. No dia seguinte, o FBI entrou em contato com o VICE sobre a reportagem.

Além disso, Brian Chesky, CEO do Airbnb, agora publicamente pressionado, informou que irá verificar as 7 milhões de propriedades anunciadas na plataforma.

Ele também anunciou que, em caso de problemas, o hóspede terá duas opções. A primeira é que a própria plataforma irá reservar outra propriedade do mesmo ou maior valor para o hóspede. Por outro lado, o hóspede também pode optar pelo reembolso total de sua locação.

Segundo Brian Chesky, o processo de verificação pode demorar até um ano (clique aqui para ler).

Outros veículos de mídia também repercutiram a história – clique aqui para ler.

Para acessar o artigo completo da VICE, clique aqui.