Justiça garante aviões para a Avianca até abril

0

A Avianca garantiu pelo menos 60 dias de operações sem a ameaça de devolução de aeronaves para seus lessores. O prazo se encerra no dia da assembleia geral de credores em abril, ainda sem data marcada.

A medida vale para ações judiciais e medidas administrativas, incluindo os pedidos de alteração de registro de aeronaves em tramitação na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Para conseguir essa extensão na posse das aeronaves, a Avianca se comprometeu a conseguir USD 75 milhões de credores para o pagamento de parcelas atrasadas aos seus lessores. A empresa negociado um crédito por hedge funds no valor de R$ 250 milhões com Paul Singer da Elliott Management Corporation.

A Avianca também apresentou ao juízo a minuta de seu plano de recuperação judicial.

Com essa nova decisão prolatada ontem à noite pelo juiz Tiago Limongi da 1a Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo. Com ela, a empresa garante a proteção de sua frota contra quaisquer tentativa de retomada pelos lessores Aircastle e GECAS, responsáveis pelo leasing de 40% da sua frota.

A empresa lançou o seguinte comunicado:

A Avianca Brasil informa que a tutela de suas aeronaves foi prorrogada até a Assemblea Geral dos Credores, que deve acontecer na primeira quinzena de abril de 2019. Ou seja, a frota segue protegida e nenhuma medida – como reintegração de posse, por exemplo – pode ser adotada. Assim, a companhia segue transportando seus milhares de passageiros e atendendo a todos com a excelência de sempre.

A empresa reitera que está totalmente focada em garantir a continuidade de suas operações, a sustentabilidade do negócio e o plano de Recuperação Judicial.

Desde que entrou com o pedido de recuperação judicial em 10 de dezembro, a empresa já demitiu 140 funcionários e abriu um Programa de Demissão Voluntária envolvendo outros 600.

Para mais informações no site do Valor Econômico, clique aqui.