Mais discrepâncias entre Smiles Argentina e Brasil

0
LOGO Smiles
LOGO Smiles

Outro dia desses eu escrevi um post comparando as milhas necessárias para emissão de bilhetes entre o Smiles Brasil e Argentina.

Cheguei à conclusão que, apesar de ser necessária uma menor quantidade de milhas para emitir no programa argentino, é mais difícil o acúmulo de milhas por lá. Isso por que ainda não há um número significativo de parceiros e os argentinos tampouco dispõem de transferências bonificadas atualmente.

Então, ao fim e ao cabo, o Smiles Brasil é mais vantajoso do que o Smiles Argentina.

Entretanto, pesquisando voos para os EUA no Smiles Brasil, percebi que não há disponibilidade em executiva na Delta saindo do Rio ou de São Paulo – pelo menos nas datas em que procurei (e procurei em muitas). Pode ser azar nas minhas escolhas, mas fiquei desconfiada.

Daí que decidi procurar os mesmos voos no Smiles Argentina e eis que, miraculosamente, lá estava a disponibilidade em diversas datas, e para diversos voos, inclusive naquelas em que eu havia pesquisado.

Smiles Argentina
Smiles Brasil

Além disso, outro dado curioso é que os argentinos têm uma vantagem de 24 horas em relação aos brasileiros. O calendário do Smiles permite a pesquisa com um dia a mais …

Argentina: disponibilidade até 21 de abril
Brasil: disponibiliddae até 20 de abril

Bom, quanto ao calendário é uma mera curiosidade – eu acho! Agora, em relação à disponibilidade, parece que o programa brasileiro está retendo propositalmente os assentos em executiva.

Como muitos sabem, já foi anunciado o aumento da tabela em um futuro próximo. Mas, sinceramente, pagar 122.000 milhas por uma ida e volta em econômica para os EUA atualmente já me parece de bom tamanho.

Com o dólar nas alturas e uma projeção de PIB cada vez mais pessimista, aliados à franca recessão e depressão, a tendência é viajar menos. Eu já dei por encerrada a minha temporada de viagens esse ano depois de ter sido depenada na Croácia – ô país caro!

A hora é de guardar dinheiro, até por que é de conhecimento geral que a poupança de milhas a médio ou longo prazo tende a ser um péssimo negócio.

Dessa forma, aumentar a quantidade de milhas necessárias para resgate de bilhetes pode ser um tiro no pé do Smiles Brasil. A conferir.

Mas o que não pode mesmo é dar tratamento diferenciado para os consumidores dos dois países. Desconheço programa de milhas que faça essa distinção em relação à origem de seus membros. Espero que seja apenas uma ocorrência sistêmica que seja sanada o mais breve possível.