O corona vírus, as viagens e o bom senso

18
O corona vírus, as viagens e o bom senso

O corona vírus, as viagens e o bom senso são três coisas que não estão se entendendo de forma alguma nesse momento sem precedentes pelo qual estamos passando.

É triste o que se vê nas mídias tradicionais e sociais. Desinformação, despreparo por parte das empresas, fake news, alarmismo e os cavaleiros do apocalipse estão por toda a parte. Mas o que fazer?

Abaixo compartilho algumas reflexões que espero possam ajudar aqueles que buscam por informações.

O corona vírus e as viagens

Sem dúvida alguma, até o momento, a indústria de viagens e toda a sua cadeia de fornecedores estão sendo os mais afetados pelo corona vírus. Acredito que o que estamos presenciando é a maior e mais séria crise dessa indústria em tempos de paz.

Espero estar enganado, mas imagino que algumas empresas não suportarão o impacto e irão desaparecer. Seguramente, as primeiras vítimas deverão ser aquelas que já vinham mal das pernas. E aqui podemos listar algumas, certo?

Mas o que fazer com as viagens já marcadas? O primeiro ponto a se considerar é quando será a viagem.

A melhor coisa a ser feita para as viagens marcadas para os próximos dias ou semanas é cancelá-las. Tudo está muito instável e vários países estão fechando as suas fronteiras numa tentativa de conter a disseminação do vírus.

Eu mesmo já mudei três viagens para o segundo semestre. Não quero me arriscar desnecessariamente ou colocar em risco a saúde daqueles ao meu redor.

O bom senso

Quando se inclui o bom senso na discussão é onde as coisas parecem estar perdendo o rumo. Aliás, isso se aplica igualmente para empresas e clientes!

Começando pelas empresas. É fato que toda a indústria está passando por dificuldades financeiras tremendas, mas ser inflexível com seus clientes não me parece ser a coisa mais acertada a fazer. Afinal de contas, quando a tempestade passar essas mesmas empresas estarão desesperadas para que seus clientes voltem.

As reclamações mais comuns que tenho visto são de empresas tentando cobrar taxas de cancelamento ou de remarcação, mesmo quando estão impossibilitadas de entregar os serviços contratados pelos clientes. Isso para mim é apenas abrir as portas para uma avalanche de letígios.

Quanto a nós consumidores. A situação é grave, sim, muito grave. Porém, não é o fim do mundo. Passaremos por semanas ou meses dificeis, seguramente teremos recessão, mas a vida continuará. Seja consciente, não espalhe fake news ou tampouco acredite em tudo que você receber no seus grupos de WathsApp.

Tem viagens para o futuro próximo? Leia todas as condições de sua reserva e consulte o site da empresa área ou hotel antes de contactá-los diretamente. Talvez o cancelamento ou mudança possam ser feitos diretamente no site sem a necessidade de ficar horas no telefone esperando para ser atendido.

E se você precisar falar com alguém por telefone, lembre-se que há um ser humano como você do outro lado da linha. Provavelmente estressado com o volume de ligações e imagino que em muitos casos sem instruções claras de como proceder. Se com simpatia você não conseguir o que quer, tampouco o conseguirá com grosseria.

E por último, assim que a situação começar a melhorar as empresas estarão desesperadas para fazer caixa o quanto antes. Sendo assim, eu acredito que teremos ótimas promoções para viagens no segundo semestre!

Para Saber Mais

Criamos uma central de notícias no Pontos e Viagens onde estaremos publicamos notícias que julgarmos relevantes aos nossos leitores. Clique aqui para acessar a página.