Opinião: A segunda onda da covid-19, a incompetência e um recado aos brasileiros!

31
IATA solicita reabertura das fronteiras com teste para COVID-19 e sem quarentena

À medida que a segunda onda da covid-19 se torna realidade, a impressão que se tem é que estamos voltando para a primavera do hemisfério norte, mais precisamente, os meses entre abril e junho. Para o desespero de seus cidadãos, um a um os países europeus estão decretando novos lockdowns e fechando suas fronteiras novamente.

Depois de negar por semanas, ontem (31 de outubro) Boris Johnson, o primeiro ministro britânico, anunciou que a Inglaterra começará um novo lockdown no dia 5 de novembro que se estenderá, pelo menos, até o dia 2 de dezembro. Na verdade, a Inglaterra está apenas seguindo os exemplos da Bélgica, França e Alemanha. Porém, a novidade por aqui é que todos os voos internacionais serão banidos. Como e por que ainda carecem de algumas explicações, que provavelmente nunca virão.

A Segunda Onda da Covid-19

A segunda onda da covid-19 vem temperada com a irresponsabilidade dos cidadãos e a incompetência dos governantes. A irresponsabilidade de muitos pode ser explicada pelo cansaço.

Depois de vários meses sem poder circular livremente e com a aproximação do verão europeu, as pessoas acharam que a pandemia da covid-19 era coisa do passado e finalmente era chegado o momento de curtir as praias do mediterrâneo e os parques urbanos. Máscaras? Distanciamento social? Tudo coisa do passado e o que vimos foram imagens de festas e mais festas na praias italianas e espanholas.

O resultado de tudo isso? Uma segunda onda da covid-19 mais agressiva que a primeira e que pegou autoridades despreparadas em todos os países. Mas seria isso despreparo, incompetência ou negacionismo?

O governo britânico, por exemplo, até ontem afirmava categoricamente que não teríamos um lockdown na Inglaterra como o da primavera. Porém, bastaram os cientistas dizerem que o número de mortes pode ser ainda maior para Boris Johnson mudar de ideia. Afinal de contas, ninguém quer esse tipo de números na biografia política.

Mas voltando à minha pergunta acima, eu voto pela incompetência dos políticos. Em maio a possibilidade de uma segunda onda da covid-19 já era dada como certa pelos cientistas. E o que foi feito para controlá-la ou tentar evitá-la? Infelizmente, além da retórica, quase nada.

Os que parecem estar melhores preparados são os hospitais, médicos e enfermeiros, pois agora entendem muito melhor o funcionamento do vírus que há alguns meses atrás. No entanto, como disse uma autoridade espanhola, médicos e enfermeiros estão moralmente abalados, estressados e cansados. Será que darão conta da tarefa? Em março saberemos a resposta.

Recado aos Brasileiros

Um fato triste é que estamos seguindo à risca os passos dos europeus. Os últimos feriados prolongados e as férias de verão que se aproximam me fazem pensar que em março de 2021 estaremos na mesmíssima posição em que os europeus se encontram agora. Portanto, que tal tentarmos usar um pouco de bom senso, nos preservarmos e preservar aqueles ao nosso redor?

É fácil? Obviamente que não! Eu mesmo já deixei de assistir ao noticiário tem um bom tempo, pois não aguento mais ouvir falar de covid-19. A notícia de que começaremos esta semana um novo lockdown na Inglaterra me entristeceu sobremaneira. Mas, neste momento, não existe outra alternativa.

As Viagens

A segunda onda da covid-19 e as fronteiras se fechando novamente jogam por terra as esperanças daqueles que planejavam conseguir viajar para o exterior no final do ano. Por ora, a hipótese mais provável é viajar pelo Brasil mesmo.

Todavia, além da covid-19, conseguir um hotel e um voo a preços razoáveis será um desafio para muitos. Portanto, talvez ficar em casa e tirar 2020 do seu calendário seja a melhor coisa a fazer, não?