Qantas vai testar voo non-stop entre SYD-JFK

0

Gente, a Qantas vai operar três voos teste no B787-9 entre Sydney e Nova York, e Sydney e Londres. Os testes fazem parte do projeto Sunrise, que eu noticiei aqui há exatos 2 anos (clique aqui para ler). Será o primeiro voo comercial ligando Sydney a Nova York non-stop.

A ideia é pesquisar os efeitos de voos de longuíssima duração no bem-estar dos passageiros. Os três voos, a serem operados em outubro, novembro e dezembro, terão apenas 40 pessoas a bordo para minimizar o peso ter combustível suficiente para não precisar de escalas.

O projeto é feito em parceria com cientistas e médicos do Charles Perkins Centre que irão monitorar o sono, consumo de comidas e bebidas, iluminação, movimento físico. O objetivo é coletar dados para determinar o padrão ótimo para descanso e trabalho dos pilotos.

Pesquisadores da Universidade de Monash trabalharão com os pilotos para monitorar os níveis de melatonina antes, durante e após os voos. Os pilotos utilizarão um equipamento de eletroencefalograma que vai revelar os padrões das ondas cerebrais e monitorar os níveis de alerta.

Em relação aos passageiros, o objetivo é minimizar o jet lag e criar um ambiente em que eles possam aproveitar o voo.

O CEO da Qantas, Alan Joyce, sublinhou que nenhuma companhia aérea conduziu esse tipo de pesquisa e que os resultados irão ajudar no design das cabines, no serviço de bordo e no revezamento da tripulação durante esses voos de longuíssima duração.

Dados Importantes

  • os voos – tanto SYD – JFK como SYD – LHR – terão cerca de 19 horas de duração, sujeitos às variações dos ventos e do tempo;
  • as aeronaves, novas em folha, estarão na fábrica da Boeing em Seattle e serão posicionadas em JFK (duas) e LHR (uma) com os pilotos da Qantas. Daí elas seguem para Sydney com a tripulação descansada;
  • a configuração do B787-9 não sofrerá qualquer alteração para os testes e depois, as aeronaves entrarão na frota da Qantas normalmente;
  • os voos terão 40 passageiros, contando com a tripulação, com pouca bagagem e catering suficiente para maximizar o aproveitamento do combustível;
  • além da tripulação, os demais passageiros serão, em sua maioria, empregados da Qantas;
  • os voos não serão comercializados;
  • nenhuma companhia aérea voou sem escalas entre NYC e Sydney;
  • só houve um voo direto entre Londres e Sydney, justamente com a Qantas. Ele ocorreu em 1989, com 23 pessoas a bordo, e marcou a entrada no B747-400 na frota da empresa australiana.

Algumas Palavras

Eu considero a iniciativa da Qantas fascinante e demonstra a seriedade da empresa. Imagino que o custo desses voos seja altíssimo, mas os dados coletados terão valor inestimável para o desenvolvimento da aviação comercial no mundo.

Mas eu vou confessar uma coisa para vocês: o voo mais longo que fiz na vida foi entre Nova York e Taipei, na classe executiva da EVA. Foram 15hrs50 mins no ar.

O voo foi excepcional (tenho o review dele aqui no site, clique aqui para acessar), mas quando bateu as 14 horas de voo, eu já estava completamente brequelé … rssssss. E eu estava na executiva … Só de imaginar que eu teria mais 5 horas voando me dá uma certa angústia aqui no conforto do meu lar.

Mas é claro que, se eu tiver a chance, eu embarco. Com uma cartela de Lexotan na bolsa …