Sala VIP GOL no Rio de Janeiro (GIG Setor Doméstico)

18

Já tem um tempinho que não voo GOL doméstico, então ainda não tinha tido a oportunidade de conhecer o lounge da empresa no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro.

A sala fica em frente ao portão 35 e os passageiros têm que andar praticamente todo o terminal doméstico para chegar nela. Isso por que os “gênios” que projetaram o aeoporto obrigam os passageiros a descer um nível após a passagem pelo raio x para forçá-los a passar por lojas e restaurantes. Quando você chega ao fim dessa área, no fundo do aeroporto, há uma escada rolante para você subir para o andar em que você estava antes e andar até a outra ponta. Você, inclusive, passa pela área de raio-x de novo – que está separada por vidros foscos. Ou seja, um exemplo vivo da imbecilidade geral que assola o país.

Mas, vamos à sala. Já na entrada é possível ver que o acesso é para passageiros GOL (Ouro ou Diamante), Delta, Air France e KLM. Os portadores do cartão Diners Club também tem acesso à sala, assim como membros Priority Pass.

Logo na entrada, fica bem visível a estreita parceria da Delta, Air France e KLM com a GOL. A Delta tem 9.5% da GOL e 10% do grupo Air France/KLM. A Air France/KLM, or sua vez, detêm 1.5% das ações preferenciais da GOL.

A sala é bem ampla, com diversos ambientes para o passageiro relaxar antes do voo.

Nessas ilhas de assentos, é possível ver que há tomadas elétricas – o que, para mim, é essencial em qualquer lounge que se preze.

A decoração segue as cores vibrantes da GOL contrastando com a sobriedade dos tons cinza e bege sobre madeira.

O lounge conta com um serviço de buffet.

Eu estava lá na hora do almoço e o único prato quente era salsicha no molho. Além disso, era possível beliscar crackers e pães com manteiga e geléia, além de frutas e amendoim.

Também era possível beliscar alguns salgadinhos, sanduíches no pão australiano e wraps vegetarianos.

A GOL também oferece uma boa variedade de doces.

Em frente ao buffet, há uma geladeira com água, cerveja e refrigerantes.

Mas quem tiver disposição para algo mais consistente em termos alcóolicos, deve visitar o bar do lounge que, infelizmente não estava aberto na hora do almoço.

A varidade de bebidas não é das melhores, mas só de termos um lounge doméstico no aeroporto do Rio de Janeiro já á pra glorificar de pé.

Mas, de qualquer modo, é possível pedir drinks  criados pelo famoso barman Tai Barbin exclusivamente para a GOL: o check-in, o winglet e o 737-Max.

Se o passageiro exagerar na dose, a GOL deixa uma máquina de café estrategicamente à disposição perto do bar, juntamente com alguns sucos para hidratar … 😉

O lounge também conta com um home theater, que nada mais é do que uma sala com uma TV e algumas cadeiras e um sofá. Na hora que passei por lá, ela estava vazia, mas a programação na TV era infantil.

Para finalizar, um tour do banheiro feminino, que conta com uma bancada para as mães poderem trocar a fralda de seus bebês. Será que tem isso também no banheiro dos homens? Eu espero que sim. Afinal, como os pais vão trocar as fraldas dos filhos, não é mesmo?

Eu achei a sala excelente, considerando que ela pode ser utilizada para qualquer destino doméstico da GOL, inclusive a ponte aérea. Já não era sem tempo de alguma companhia aérea oferecer uma área de relaxamento para seus passageiros dentro do Brasil. A LATAM desativou todas.

Espero que o exemplo da GOL sirva de incentivo para a LATAM, assim como as inúmeras facilidades Smiles forçaram o LATAM Fidelidade a abaixar a quantidade de trechos necessários para o passageiro ser Platinum (Safira na Oneworld) e gozar de uma série de benefícios, inclusive o acesso às salas VIPs de business class das parceiras independentemente da classe voada.