TAP está terceirizando voos em Salvador e outras cidades

14

O leitor Renato me enviou email relatando um problemão nas operações da TAP em Salvador e outras cidades. A empresa portuguesa está terceirizando as operações em modelo de wet lease – quando empresa “aluga” a aeronave e a tripulação de outra empresa para operar a rota.

Salvador parece bastante afetada de acordo com as informações do Flightradar. Vejam que no dia 13 de janeiro a rota foi operada por um A320 (!?!) e nos dias 8 e 10 janeiro por um B767-300.

O A320 do dia 13 de janeiro, prefixo CS-TKQ, pertence a Azores Airlines. Mas eu acho que há um erro aqui por conta do alcance máximo do A320. Se alguém puder confirmar qual aeronave voou nessa data, agradeço.

Já o B767-300 que operou a rota nos dias 8 e 10 de janeiro pertence à EuroAtlantic Airways. De acordo com o site da empresa, ela é registrada em Portugal e possui uma frota “com quatro (4) B767-300ER na frota desde 2003, um (1) B777-200ER em 2009, um (1) B737-800NG em 2012, um (1) B767-300SF só para voos de Carga e um (1) Cessna Citation CJ3 apenas para voos executivos privados em 2014”.

Essa aeronave possui 266 assentos em econômica, sem classe executiva! A configuração abaixo foi retirada do próprio site da empresa (clique aqui).

O histórico da aeronave indica que ela foi usada em Salvador e em Natal também.

Belo Horizonte também foi afetada em novembro. Por conta de problemas técnicos, no dia 26 saíram dois voos da TAP para Lisboa., sendo que um deles foi operado pela HiFly (A330 CS-TQW) (clique aqui para saber mais).

Aqui está a executiva da HiFly, que lembra a premium economy da British Airways:

Ou seja, ao que parece, a TAP não tem frota suficiente para operar todas as suas rotas caso alguma aeronave tenha problemas técnicos.

Então, muito cuidado ao emitirem bilhetes com a TAP – sejam eles pagos ou com milhas Victoria, Smiles etc. É possível que a rota nem seja operada pela companhia. E tem mais: não há como saber de antemão qual aeronave vai fazer o voo, pois essa decisão é tomada no dia anterior à data de partida e depende do setor de manutenção.

Vocês estavam sabendo disso? Alguém já voou com essas outras companhias?

Agradeço imensamente ao Renato por esse alerta.