Turkish Airlines muda drasticamente o catering a bordo

32
Turkish Airlines Business Class JFK - IST B773 fev 2018

A Turkish Airlines anunciou as alterações no catering da empresa para os voos na pós-pandemia. Já de cara, não teremos mais aquele chef que ficava a bordo. Mas as mudanças na oferta de comidas e bebidas é que impressiona.

Para os apreciadores de comida de avião, as alterações chegam perto do que se pode chamar de cataclisma. Vamos a elas!

Catering da Turkish no retorno às atividades

  • Voos com menos de 2 horas de duração
    • Classe executiva: uma garrafa de água. (!)
  • Voos entre 2 e 8 horas de duração
    • Classe executiva: uma caixa contendo um sanduíche frio, um mezze frio, salada, sobremesa e água.
      Catering Turkish
      Catering Turkish
      • Não haverá café ou chá
      • Não haverá drink de boas vindas ou toalhas aquecidas
      • As bebidas serão servidas em garrafas ou latas.
      • Não haverá copos ou menus.
  • Voos de mais de 8 horas de duração
    • Classe executiva: duas caixas com refeição fria
      • 1a caixa: sanduíche ou wrap, dois mezzes, salada, sobremesa e água, além de chips e pide.
      • 2a caixa: sanduíche, um mezze, salada e sobremesa.

Algumas Palavras

Já era previsto que as companhias aéreas comecem a adotar medidas do barateamento do custo que impactarão diretamente na qualidade do serviço de bordo oferecido. É medida de urgência, tomada em razão de fatores externos e tem seu mérito justamente por conta do momento atual.

Também veremos alterações no modo como as bebidas e as comidas serão servidas para se adequar às orientações sanitárias dos países. É outra medida necessária.

Entretanto, a proposta da Turkish é quase que ofensiva. Imaginar um São Paulo – Istambul com duas caixas de comida fria me faz ter vontade de ficar em casa!

A Qatar e Emirates já anunciaram alterações, principalmente no modo de apresentação do serviço de bordo. Mas sequer insinuaram que a quantidade de comida seria racionada.

Enfim, é uma pena, já que a Turkish tem um dos melhores serviços de bordo do planeta, em minha opinião (para ler dois reviews, clique aqui e aqui).

Só há um aspecto bom nessa notícia: que baixemos nossas expectativas quanto à qualidade dos voos em um futuro próximo.

E já deixo uma pergunta pra vocês: vale a pena gastar milhas para voar assim ou vocês vão aguardar mais um tempo até que as coisas melhorem, pelo menos, um pouco (já que retornar aos níveis de 2019 só vai ocorrer lá por 2023)?